Cleonices

coisas da cleo

Arquivo da tag: Organizacao

Se você faz parte do time de pessoas que acha que o dia precisava ter mais de 24 horas para que você conseguisse realizar todas as suas tarefas, há duas situações com as quais provavelmente você deve se identificar: ou precisa deixar de ser centralizadora e delegar mais ou está faltando organização na sua rotina.

No primeiro caso, a dica é exercitar mais a arte de confiar nas pessoas que te cercam funções que elas podem executar. Isso funciona no trabalho e dentro de casa: dividir tarefas é a forma mais assertiva de não sobrecarregar ninguém.

Já se tratando da segunda hipótese, a orientação é criar um cronograma que organize todos os afazeres e o prazo para que eles sejam concluídos. Além de não precisar forçar a memória com uma lista de coisas, o ato de passar tudo para o papel (ou computador, ou ainda o celular), permite que a administração dos prazos seja realizada da melhor maneira.

Agenda

Alguns toques são úteis para ajudar nessa empreitada:

- Criar um cronograma de tarefas: quando você tem um roteiro de coisas para fazer, o tempo que se perde refletindo sobre as prioridades é menor.

- Estipular metas: pensar, no começo do dia, quais são as coisas que você gostaria de ver executadas ao final dele é muito importante para definir o tempo a ser gasto com cada uma delas.

- Ter horários: quem não trabalha em um sistema convencional precisa criar uma rotina para não se distrair dos afazeres. Ter hora certa para acordar, iniciar as atividades e, claro, parar de fazê-las é fundamental.

- Planejar: esquematizar é quase tão importante quanto fazer. Ações pré-definidas são melhor executadas.

- Hora do ócio: dezenas de estudos e pesquisas mostram que as pessoas não conseguem ficar muito tempo focadas em algo sem distração. Para isso, lhe permita momentos de “recreio”.  Seja para uma checada nas redes sociais, um café ou uma conversa rápida com os amigos (filhos, marido, namorado) no WhatsApp. Esses momentos devem ser incluídos oficialmente na rotina, para que não sejam canais de dispersão das obrigações.

Uma japonesa de 30 e poucos anos se tornou verdadeira guru no quesito arrumação após lançar um livro que serve como manual para quem tem problemas com organização. “A Mágica da Arrumação” ultrapassou os dois milhões de exemplares vendidos no mundo e levou a autora Marie Kondo para a lista das 100 pessoas mais influentes do mundo.

mariekondo

Veja uma lista com as principais dicas do método KonMari (como é chamado) para quem quer acabar de forma definitiva com a bagunça em casa:

1 - Separe por categoria, não por localização – Ao invés de arrumar o quarto, a sala ou a cozinha, experimente organizar os livros, as fotos, os documentos. Reúna todos os itens que pertencem a determinado setor e depois faça a triagem e guarde-os de forma mais assertiva.

2 - Faça tudo de uma vez – Organização em parcelas não funciona! A tática mais eficiente é tirar dois dias (um fim de semana, por exemplo) e fazer toda a tarefa.

- Como escolher: deixa você feliz? – Quando tiver que decidir pelo que vai ficar e o que deve sair, use o coração! Se aquele objeto te faz feliz de alguma forma, deixe-o ali. Caso contrário, desapegue.

4 - Saiba quando é só apego – Cartões de natal de dez anos atrás, cartinhas de ex-namorados e demais papéis que não têm razão de serem guardados por tanto tempo precisam abrir espaço para coisas importantes.

5 - Você não precisa de uma biblioteca – Separe os livros entre lidos e não lidos e questione-se se, em ambos os casos, é necessário que eles se mantenham ali.

6 - Livre-se das “roupas de ficar em casa” – Aquela coleção de moletons e camisas que você só usa para ficar em casa precisam ser doadas. Segundo Marie Kondo, esses itens ocupam mais espaço do que deveriam e não são tão úteis quanto parecem.

7 - Aprenda a dobrar as roupas – Quando as peças são devidamente acopladas na gaveta, o espaço útil aumenta e nada é amassado. As camisas devem seguir o método retangular e as meias não devem ser guardadas em forma de bolinha, pois, além de criar mais volume, isso ainda danifica o elástico.

Para quem quiser acompanhar mais dicas, é só seguir a escritora pelo Instagram @mariekondo.

mariekondo_instagram

Imagine lavar e passar uma roupa e, ao vestí-la, dias depois, se deparar com a peça completamente amarrotada? Essa situação é recorrente em muitos guarda-roupas. Isso por que, manter as roupas intactas depende de vários fatores.

O primeiro deles é a organização. Ao misturar um item limpo em um armário desarrumado, inevitavelmente, ele acabará por se amassar também durante o contato diário. Para manter a ordem no local, é preciso observar o estilo de roupa que se tem, para dispô-las baseadas na freqüência de uso, obedecendo a rotina de cada pessoa.

cabide_carlo_01-800x800

A escolha dos cabides também é essencial. Eles evitam que as peças amassem e ajudam a manter tudo em ordem. Conhecidos como o tipo mais resistente, os cabides tradicionais de madeira grossa são ideais para guardar casacos, ternos e outras peças mais pesadas, pois fornecem mais estrutura para a peça. Os mais finos e lisos do mesmo material são perfeitos para os tecidos delicados, como a seda, que requer todo o cuidado para não alargar ou desfiar.

Para pendurar shorts e saias existem tipos de cabides com pregadores laterais, que dão o suporte necessário para que a roupa se mantenha intacta.

Anna

As calças sociais podem ser presas pelos cabides pinça. Ao pendurá-las pela barra, evita-se que elas fiquem com a marca de dobra no meio da perna. Já os cabides de dois ou mais suportes podem ajudar a ganhar espaço no guarda-roupa ao pendurar mais de uma calça de tecido grosso, como o jeans.

Cintos presos em cabides normais cairão, naturalmente. Já existem cabides próprios para eles, como os de gancho de aço. Problemas de organização e espaço resolvidos!

Amelie Branco

Mas, atenção. Algumas peças, como as tricotadas, principalmente em linha, lã e em jersey, não devem ser penduradas. Na hora de escolher o cabide, é preciso se atentar, ainda, aos tamanhos. Geralmente, eles são padronizados para acolher roupas médias. Se as peças forem menores ou muito maiores, é importante procurar objetos equivalentes. Cabides de tamanhos errados também podem deformar as roupas.